"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

segunda-feira, janeiro 16, 2006

Instantes de Vida


A noite passada, depois de me ter encontrado com a malta da marcha de Alcântara, para participar no nascimento do tema e dos figurinos, diverti-me à grande com o filme de João César Monteiro "Bodas de Deus", que passou na 2.
Hoje à tarde, quando a chuva parou, a Ana trouxe-me até Lisboa, para reunir com o Fernando Duarte e o José Alberto, a fim de fazermos o boletim da Aldraba...
Só que na ponte 25 de Abril, um carro bateu com a parte da frente e a traseira no rail protector, mesmo à nossa frente, centímetros de distância.
Limitei-me a dizer "tem calma". A Ana foi espectacular e travou, sem problemas.
Ninguém ficou ferido, apenas um grande e aparatoso rombo no carro que se atravessou no nosso caminho.
Estamos vivos, é a grande constatação. E para que o dia de amanhã corra bem, vou-me deitar, para descansar o suficiente e acordar bem disposto...
(foto de LFM em Alte)

4 comentários:

Anónimo disse...

Depois das inúmeras gargalhadas que demos ao ver o filme e do nosso belo serão passado com a nossa amiga Rosa, aconteceu aquele tremendo susto, talvez um dos maiores das nossas vidas. Foi mais um 'marco' intenso para juntar a tantos outros que têm marcado o nosso caminho juntos.
Ainda estou para perceber como saimos sem um arranhão ...
beijinho
ANA

Anónimo disse...

subito amparo
que afinal não foi...
sendo embora
eu, amparo.

Gostei mto de conhecer o luis naquele cenário já montado para o conto que há-de vir.
Foi bom poder ler e ficar a conhecer as "ESTRELAS" que irei ver e ouvir amanhã.
Um abraço e até amanhã
Amparo

Fernando B. disse...

Ainda bem que tudo "acabou em bem".

Estou à espera da tua inscrição para o nosso Encontro de dia 28.

Um Abraço,

relampago disse...

olha...que bom voltar a ver-te...tás l i n d o. meu doce amigo.


b.e.i.j.o......e vais ter de adivinhar....:)