"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

terça-feira, março 01, 2005

As Mulheres


Como este é o mês das flores começarem a irromper em algumas árvores e da esperança renascer, como a mulher é a terra que fecunda a bela semente da vida, como o dia da mulher se aproxima, partilho este poema (a foto é de Eduardo Nascimento e nela estou rodeado pela poetisa Conceição Baleizão e pela pintora Isabel Aldinhas):

As mulheres
Este barro tão belo
Antigo e frágil
Trágico e firme
Esta gota de orvalho
Única
Fonte de luz
Enorme
Que rio tão azul
De palavras e silêncios
Aragem de luas e laranjais
No barco das horas.

As mulheres
Sempre ao meu lado
Sopro suave olhar eterno
Janela inquieta
Sonho sereno
Beijo da terra
Mães dos ventos
Caudal de verde
Rasgando manhãs.

As mulheres
Este cálice de aromas
Abraço quente, estimulante
Bebido com dedos de brisa
Amantes sementes loucas
Corações de mar
Areias de surpresa
Nas praias do tempo.

As mulheres
Estes versos guardados
Em caixa secreta
Preciosa palavra
Viagem sem cais
Eterno voo
Incansável maravilha.

As mulheres
Este barro sensível
Estas estrelas de fogo
Tanta água
Para tanta sede.

Luís Filipe Maçarico, "A Essência", 1993, edição de autor.
 Posted by Hello

3 comentários:

maria disse...

EU JÁ MULHER

Desgastando o tempo passado,
regressei aqui,
onde madressilvas
caem languidas, perfumadas
e malvas-rosas salpicam o teu jardim.
Sentidos aguçados pelo pólen
disfarçadamente disperso
por abelhas afobadas,
caminho por entre moitas verdes
e pensamentos distantes.
A passarada, num alvoroço,
foge, chilreando incomodada
com a intrusa
do seu paraíso
Mágoa e saudade ficaram guardadas
numa latinha ferrugenta,
encostada a uma velha árvore.
Pisando ao de leve
fui embora.

oasis dossonhos disse...

Bem Hajas Maria por teres partilhado o teu poema e teres visitado o blog. Volta mais vezes. És BENVINDA!!!
Beijo
Luís

Águas de Março disse...

Se já gostava de ser mulher, agora, face a este magnífico poema, sinto-me verdadeiramente previlegiada, quase um ser divino.
Como tu escreves, Luis, como tu escreves!...
Beijo.