"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

domingo, março 13, 2005

O Nuno, as Aldrabas de Abrantes e a Caligrafia da Amizade


O Nuno Távora, tal como o Jorge, ama o Teatro (estão ambos a estudar no Conservatório) e o interesse pela fotografia também é comum. Eles marcaram o lançamento do meu livro "Caligrafia do Silêncio", dizendo poemas meus, como notou Isabel Mendes Ferreira, de uma forma muito sentida.estou-lhes eternamente grato e nunca é demais dizê-lo em público, porque a disponibilidade e entrega deles é uma qualidade extraordinária.
Surgiram no final deste domingo em duas fotografias com muito significado, pois partilharam de forma original a descoberta de um património "invisível". Para ambos, um grande abraço e já agora, quem quiser dar uma vista de olhos pelos blogues deles, não faça cerimónia:
Posted by Hello

3 comentários:

poetando disse...

É verdade, tornei-me caçador de aldrabas graças ao estímulo que tanto me tens dado em prol desta nobre causa - a defesa desse partimónio que é de todos - A ALDRABA!
Por tudo isso um Bem Haja para ti!

augustoM disse...

Uma das coisas mais preciosas da vida são os amigos, há que guardá-los bem.
Um abraço. Augusto

stillforty disse...

Jávou ver os blogs dos teus amigos, adoro as Aldrabas. Abrantes conheço muito bem, fica perto de Montalvo, terra onde nasceu a minha mãe.
Beijo grande.