"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

terça-feira, novembro 16, 2004

Memórias da Casa-1


As primeiras memórias que guardo da velha casa, estão ligadas a um território, que me parecia enorme. Casa afinal tão pequena, onde os dias se passavam sem problemas, entre brinquedos e a magia da descoberta. E assim foi, até àquele momento em que a chucha foi partida, de propósito, na dobradiça de uma janela, para ver se eu me libertava dela. Chorei a noite inteira e, nessa primeira sensação de perda, aproximei-me do vazio que a morte constitui para mim. Nada. Pó. Película de silêncio. Fragmento de luz no escuro. Lume apagado.Lágrima seca...
(Foto de Vanda Oliveira, Verão 2004) Posted by Hello

1 comentário:

Guida Alves disse...

Mas quem é esse gordo que me tapa metade da vista do rio??? ;))