"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

quarta-feira, fevereiro 23, 2005

A Mão Cheia


Eu canto o tempo
de lua e vento
a caminho do deserto,
a mão cheia
não de farinha
mas de fina areia.

Inédito, Luís Filipe Maçarico (escrito na Tunísia-Tozeur, em Novembro de 1996 )Posted by Hello

1 comentário:

Águas de Março disse...

...de grãos de ouro, como esses poemas que ela te sugeriu..
Beijo.