"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

terça-feira, fevereiro 08, 2005

Cromos de Bairro


Recebi há dias mais textos do Mané, que irei publicando por aqui.
O de hoje, escrito em 23/03/04 é sobre alguns cromos de bairro...

"Descobrir este canto, era encontrar novas coisas e caricaturas, fora de um jornal ou de uma revista tradicional, de pessoas importantes, era engraçado como se encontrava alegria, destreza e bem-estar, diversão e convívio por vezes indesejado, por aquele que serviria de anedota ou simplesmente, o cómico do dia. Conhecer o Fernando, era descobrir, a rir todas as caricaturas deste bairro. Beltrano, magro, de meia altura, sempre arranjadinho, por um carinho paterno, à espera de encontrar namoradas, passava o tempo a encontrar melodias de feitiço e piadas. Tarefa quase impossível, pois quase todas elas já tinham sido alvejadas pelas suas gracinhas. Este magriço era capaz de estar uma manhã inteira no começo da rua, perto da entrada do bairro e à saída dos autocarros, onde a rua coincidia e absorvia 60% da entrada deste bairro, lógico que ninguém escapava, de pelo menos uma vez, ser gozado, com a sua rapidez e visão de palhaço. O ti Cândido, vivia nessa entrada do bairro, mesmo não escapando às suas piadas, acabaria por aproveitar algumas delas para utilizar em altura oportuna. O ti-Burço, como ele lhe chamava, era um homem só, viúvo, alto, de chapéu, samarra, sempre à procura para falar, estacionava ali e passava os seus dias na entrada dessa rua, era talvez uma das suas vítimas engraçadas. Lógico que este não ficava a olhar para o rapaz com peneiras e pinta de conquistador como o Fernando, respondendo sempre com bengaladas e correrias atrás daqueles que o provocassem, atraindo assim o ânimo e as risadas dos humildes habitantes deste canto."
(O Mané com a Ana, fotografia de LFM, final dos anos 80 do século passado) Posted by Hello

1 comentário:

Sur Prise disse...

Há tempo no próprio tempo, e dizer que as recordações são coisas de cotas... deixem-me ser velhinha para lembrar "tempos".... Mané, serei a tua 'fada madrinha'... tão bonitos estes textos...
beijos