"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

sábado, agosto 22, 2009

Três Poemas Escritos na Tunísia






AS ÁGUAS

Cada rosto é a miragem
No doce oásis da tua embriaguês
de palavras.
Escutarás a rola, o pardal
No céu de areia destes dias.
Escutarás todos os rumores
Que chegam dos tempos
Mais remotos.
Não estás nem só nem
acompanhado. És como as árvores.

Tozeur, 14-10-1996

Só o silêncio floresce
Nos imensos olivais.
Um tropel de rebanhos
Anuncia a manhã
Sobre a terra fresca.
Com os pássaros
A palavra virá
prenhe de odores
e leveza. Só o silêncio
ficará no teu olhar
Entre o deserto
E a cal.

No comboio Tunis/Gabés 1-11-1996

No doce aroma
de amêndoas da pele amada
amassei a farinha
dos meus versos.
Ver-te era banhar de luz
Cada passo e
nessa noite de cigarras
Cresceu, como uma lua
Ou uma rosa
O teu sorriso.

Jerba, 5-11-1996

Poemas e fotos de Luís Filipe Maçarico

1 comentário:

marialascas disse...

Hoje acordei com estes teus poemas, a minha manhã foi hoje mais bonita.