"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

terça-feira, fevereiro 10, 2009

Caderno de Versos para um Coração que está Longe


Recolho numa novela esta frase: "Morre-se por amar de menos e por amar demais..."
Escancarei o meu caderno de versos, para que um coração que está longe leia e reconsidere. E saiba que escrevi para a sua alma voltar. Continuo a ser meiguinho e a merecer o seu sorriso. Com esperança o faço, como quem diz: Meu amor, não fujas.
Aguardo a mensagem que pode devolver-me a vida suspensa por uma palavra sua. Tão necessária quanto o oxigénio, o pão, o sol, o mar, a noite...


Espero um veleiro
de sol para poder
navegar na pele
de Junho com o nome
dos sonhos nas veias
e o sabor das cerejas
na língua.

26-1-2009 22:17

Faz-me falta o paraíso
dos teus lábios o jardim
das tuas palavras o mel
do teu olhar para apaziguar
o fogo deste desejo.

2-2-2009 12:45

A tua ausência
dói como a cegonha
que não voltou ao ninho,
Melro emudecido,
rio seco
antes da foz...

6-2-2009

Em teu rosto
acorda a alegria
nos teus dedos
o corpo arde
quero adormecer
nesse sorriso
sensual,
lua dos sonhos.

7-2-2009 15:30

Essas dunas
onde te queria
já foram minhas
na efémera tarde
de espuma e lume.
A memória dos dias
embala as frágeis flores
de areia nesse espaço
onde te sonho.
Essas dunas...

7-2-2009 10:55

Luís Filipe Maçarico

3 comentários:

paula silva disse...

Simplesmente BELO....
Tocante...
Um uni-verso de sentidos, a alma em saudade, arrepio e desejo.
Como nos faz falta o AMOR!!!
Não fujas AMOR deste homem que merece o melhor do mundo!!!!

Beijão, amigão

girassol disse...

Deixa que o Sol dos dias Felizes Te abra caminho para o lado de dentro.
Sabes o sentido das palavras e dos próprios sentidos...
Sabes dentro de Ti o Amor que Te está a ensinar os sinais...
Segue-os!!!...

Jingã Feliz por Ti

Fernando Pinto disse...

Adorei este teu poema

"Espero um veleiro
de sol para poder
navegar na pele
de Junho com o nome
dos sonhos nas veias
e o sabor das cerejas
na língua."

Junho é o meu mês e adoro cerejas, ainda mais quando elas sabem a poesia.

Abraço