"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

domingo, junho 12, 2011

Encontro de Poetas 2011 em Alpedrinha: Salvé, Maravilha!













































A Né Ladeiras depois de ver estas imagens e ler este post certamente que me desculpará por ir buscar à sua obra este "Salvé, Maravilha!"
É que na sexta feira passada, em Alpedrinha, aconteceu de novo POESIA!
Desta vez, porém, os adultos da assistência e os convidados que estavam na mesa, ombrearam com uma miudagem muito atenta, que também partilhou versos de sua autoria, como foi o caso da Beatriz, ou de Augusto Gil e Luísa Ducla Soares.

Este ano, José Manuel Gema e Teresa Bispo, vieram de Lisboa, trazendo os seus poemas, Marília Hilário, a actual presidente da direcção da Liga dos Amigos de Alpedrinha leu quadras de dois "anónimos", Laurinha (Laura Freire), como é conhecida entre os alpetrinienses, apresentou trabalhos de grande sensibilidade e Paula Lisboa completou este grupo, dizendo Eugénio de Andrade, entre outros, com a dicção certa e a ternura, que os poemas pediam.

Na assistência, além dos meninos, alunos da escola de música da Liga dos Amigos de Alpedrinha, desafiados a fazer o seu poema ou a escolher um texto de um poeta, disseram também versos, entre outros, Alice Peixeiro, Maria Odete, Pilar e António Ribeiro.
José Alberto Franco terminou a sessão poética, dizendo um poema de Aboulkacem Chebbi, poeta nacional tunisino.

A transição dia-noite fez-se com caldo verde, bom vinho, entremeada, morcela e outras iguarias de truz, como uns pasteis de queijo (estes da anfitriã Manuela Castro, que com o marido, voltaram a proporcionar que esta festa decorresse no seu jardim).
Carlos Ventura (em representação da Junta de Freguesia de Alpedrinha), Manuela Castro e Marília Hilário, disseram poemas de Paula Cristina Lucas da Silva e, de entre os pequeninos, houve um menino que fez questão de ler/soletrar uns versinhos que, pelo interesse da criança, fizeram vibrar a assistência, tal como o outro mais crescido que a dada altura se esqueceu de umas estrofes da Balada da Neve, comentando "ai que já não me lembro daquela parte"...

Tenho a certeza que esta iniciativa ficou marcada no coração das crianças, foi um momento de simpático convívio, no quotidiano das pessoas de Alpedrinha, elevando a Liga ao destacado lugar de espaço de cultura e encontro, em torno do património popular, que estes eventos potenciam.

A feliz ideia da direcção da Liga, integralmente feminina, em estimular a apetência pela poesia, por parte dos seus jovens alunos de música, merece os parabéns de todos, pela beleza, harmonia e graciosidade, que pautaram esta sessão, consumada com muito trabalho voluntário destas valentes mulheres, compensado pelo êxito evidente nos olhos brilhantes de grandes e pequenos...

Texto e fotografias: Luís Filipe Maçarico

4 comentários:

zmsantos disse...

E viva a Poesia!

Abraço.

zmsantos disse...

E viva a Poesia!

Abraço.

prof. disse...

Estive lá, mesmo sem estar em corpo. Enviei uma mensagem de partilha e alguns poemas. Mais uma vez foi um excelente encontro de gerações, estilos e em comum o amor pelas palavras.
Bem-Hajas pelas fotos, Luis.
Além do mais ninguém se esquece que tu foste o pioneiro desta iniciativa.
Beijos a todos os que comungaram, nesta deliciosa tarde, a alma dos versos da terra, na voz dos que amam esta arte de transmitir e sentir emoções.

Paula Silva disse...

Desculpa Luis, isto de ser prof e ter blogs e sites para alunos acaba por trazer estes equívocos e publiquei um comentário como prof. mas sou eu mesma, a Paula de sempre.
Bem-hajas pelas tuas fotos e reportagem tão sensível.

Beijos