"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

sábado, agosto 28, 2004

O Piassaba

Mais um sábado. Agosto a dizer adeus e eu à volta de uma colecção de piassabas, na drogaria de bairro, da Dona Eugénia, hesitante...
Isto, porque o exemplar que tenho em uso, já lá vão alguns anos, oferta da Paula num dia de sorrisos, quando passei a ter uma casa de banho, tem desempenhado bem as suas funções, mas precisa de um duplo, nem que seja para ser utilizado em matar baratas, que às vezes chegam pela chaminé, ou por debaixo das portas, intrusas, cuscas, quais bruxas voadoras...
Quanto a osguinha de estimação, tão celebrada nos comments e que teve honra de abertura no blog da Daisy, mais dia menos dia está a rivalizar com os Xutos e Pontapés na obtenção de uma comenda...Deve ter sido ela que se banqueteou com as aranhas dos cantinhos do tecto, pois não há quem as veja...
Outra hipótese para o piassaba, seria limpar o cotão mental de muita gente, que está no desporto nacional, isto para ser soft e não chamar a porcaria pelo nome.
Ah, e a corrupção, que tem minado cada alvorada, nas páginas dos jornais e nos noticiários das rádios, e que em cada crepúsculo nos invade, com telejornais deprimentes...quando afinal os que não estão sujos, continuam a suar, para manter o país. No dia em que aprenderem a carregar no botão do off e não quiserem saber das Lillis e dos Castelos Brancos esta terra será mais respirável. Bem podem nessa altura os chernes pregarem aos incautos...
E não nos esqueçamos dos desgraçados comerciantes de tascas e cafés, que como é sabido são na sua maioria professores e têm de fazer férias todos os anos em Agosto. É fartar alarvagem! Ruas inteiras com 2, 3 cafés e tascas fechados, até Setembro começar...
País de lindas praias, paisagens excelsas e tradições que marcam, é o nosso.
Mas a precisar- como nunca -de uma boa limpeza, com um piassaba novo e eficaz, para tirar o sarro aos cérebros e as caganitas de rato que flutuam no sangue de tanta gente...

3 comentários:

lost disse...

Acho que nunca mais vou olhar para o meu piassaba da mesma maneira...... tantas as potencialidades que ele pode ter!!! eheheheheheheh!!!

otraque disse...

É assim mesmo poeta dum raio. É dar-lhes com força que eles não merecem outra coisa. À piassabada, vassourada e pedrada. E se não temos nada disso à mão, então damos-lhe com a língua e com a pena, chamando os bois e vacas pelos nomes. Não há que ter comtemplações para com a cabronagem que nos faz a vida negra. Também O TRAQUE (http://otraque.blogs.sapo.pt/)tem vindo a dar o seu contributo para a necessária catarse colectiva zurzindo nalguns figurões e filhos da puta que infestam este país.

Anónimo disse...

ler todo o blog, muito bom