"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

terça-feira, setembro 15, 2009

Espanto, Silêncio, Mistério








Revisitei os espaços
onde sonhei
o Amor mais espantoso.

Os olhos voltaram
à terra
à cal
ao tempo...

Tudo permanece
envolto no silencioso
véu de mistérios do sul

menos

os lábios
e a lua

que me tiraram
anos de vida
naquela madrugada
do último abraço.

14-9-09; 1h/15:18

Luís Filipe Maçarico

4 comentários:

mariabesuga disse...

Só para deixar notificação de um selo/prémio que tenho para partilhar lá no meu blog e um calhou-te a ti porque o teu blog é viciante de facto. Sempre o visitei e visito com assiduidade. Tu sabes.

http://mariabesuga-extras.blogspot.com/2009/09/selo-seu-blog-e-viciante.html

Criei aparte um espaço para estas coisas de selinhos prémios desafios e etc...as e tais. assim ficam aqui muito bem todos juntos e não interferem com a minha ordem das coisas lá no blogue principal.

Espero que aceites. Farás o que entenderes que muitas pessoas preferem não ligar mas está lá e é teu.

Jingã pa ti

mariabesuga disse...

Adorei as fotos.
Espaços de intimidade... não admira que aí tenhas sonhado o amor expresso nas palavras que as acompanham.

Jingã
Belmi

Ana disse...

Com tantos poemas novos e inspiradores, para quando há um novo livro de poesia, Luís?

Bjs

Espero que estejas bem,

Ana

elvira carvalho disse...

Muito bonitas as fotos. E o poema, embora fale de um desencontro de amor.
Um abraço e bom fim de semana