"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

sábado, maio 30, 2009

Recuso-me a Ser Merda!



O calor foi intenso ontem e hoje no Alentejo. Beja andou à volta dos 35 graus. Mértola não lhe ficou atrás.
Duas mulheres preencheram as aulas do Mestrado Portugal Islâmico e o Mediterrâneo. Ontem, Manuela Barros e as Fronteiras da Língua. Hoje,Isabel Cristina Fernandes, falou-nos do Povoamento. Duas professoras acessíveis, com muita sabedoria.



Regressei a Lisboa com a Ana e o Pedro, satisfeito por ter cumprido mais um fim de semana de presença no curso, com o bem estar de quem deseja aprender mais e absorver tudo com serenidade.
Mértola, em cada fim de semana, é uma ressurreição para quem trabalha numa câmara, sabendo que no final do ano terá - se não houver atritos com as chefias - classificação Bom, equivalente a um ponto, tendo de somar 10 pontos para conseguir passar de Principal para Assessor e poder ganhar uma migalhinha mais...ou seja, daqui a dez anos, talvez suba de categoria, pois ter licenciatura, mestrado ou doutoramento, neste momento, face ao que este governo decidiu para a função pública, tanto se lhe dá como se lhe deu...importa é ter bom relacionamento com quem manda...



A decisão de ter ido estudar passou por sobreviver à mediocridade imposta por decreto lei...

O Sonho anima-me, tal como a vontade de viver, de não soçobrar perante o desprezo de quem durante meses enviou palavras únicas e depois mergulhou num silêncio mortal e não sabe que há poesia, emoções, sentimentos, quando se sai da prisão que é o trabalho quotidiano, quantas vezes sem qualquer motivação.
Outros dias, espero que melhores, virão. E pessoas que não traiam, que não mintam.

Recuso-me a ser Merda!

Luís Filipe Maçarico (Texto e fotografias: 1 - Mértola, rio Guadiana, perto da foz da ribeira de Oeiras; 2 e 3 - Granada.)

4 comentários:

Chris disse...

Gostei de passar por este seu espaço... Alentejo, Alhambra...
Sinceramente, gostei!
cumpts,
Cristina Fernandes

jose filipe rodrigues disse...

Festas a cães
Para o Nikolai


Filho, quando fizeres festas a cães
não os deixes invadir a tua privacidade
porque podem ser vários os perigos,
diversos os riscos e as contrariedades.
Muitos não entendem as linguagens do carinho,
da amizade e de outros relacionamentos normais.
Eles vivem num sem ser de indefinição,
não têm alma, nem decidem o seu caminho.
Não deixes que te mordam a mão
e tem cuidado, tem muito tino:
hoje em dia castiga-se nos tribunais
os que não maltratam os animais.

Ezul disse...

Há-de ser por essa mesma razão que eu recusarei a "dádiva" do muito bom e do excelente. Porque ela, à partida, não premiará todos os que a mereçam . Porque ela não fará nunca justiça às manhãs, tardes e noites, aos dias de semana e fins-de-semana em que somamos tarefas que não cabem nos horários falsos que nos dão. Porque somos os campeões das horas fantasmas, porque não lhes interessa que piquemos o ponto. Como poderiam justificar as reuniões e as formações à noite e aos sábados, a transformação das nossas casas em escritórios do Estado (único local onde não esperamos a vez para aceder a uma impressora, onde não temos de esperar para nos sentarmos a um computador, a uma mesa, onde conseguimos um pouco de silêncio e de concentração)?
Tentam roubar-nos a alma. A voz, perdi-a neste último Sábado em Lisboa. Mas ela voltará e, apesar dos dias amargos, acredito que guardarei também a capacidade de abrir as janelas e de voar!
Em nome da Dignidade e da Democracia!

marialascas disse...

Gosto desta revolta, sabe-me bem...
Nunca gostei da entrega que via em ti,nunca. Senti-a uma farpa envenenada dirgida a peito aberto. Talvez deva corrigir a farpa da indiferença pelo sofrimento alheio... E olha que sou romântica sonhadora com tendência para ver qualidades que não existem... e queria ver-te feliz, mas nunca consegui acreditar que a felicidade viesse por aqui...BJS