"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

quinta-feira, setembro 15, 2005

A Casa de Cera e os Políticos dos Miolos de Esferovite







Dois dias antes de apresentar a minha tese de mestrado fui ver a "Casa de Cera", no Fórum Almada.
Passei o tempo a dizer palavrões, enervadíssimo, a Ana a mandar-me calar e no final saí do cinema com a ideia que os governos portugueses são parecidos com estes filmes.
Quando os partidos de direita deglutem o bolo do poder, as propostas legislativas como a lei laboral e das rendas são horríveis.
Vêm os SóAres, os Fócrates e quejandos e fazem uma ligeira cosmética, para que a proposta passe de péssima a má.
Somos sempre esquartejados,ficamos quase sempre sem um dedo ou um braço-em três anos os funcionários públicos portugueses perderam 10 anos de reforma (de 55 anos e 36 de serviço,no tempo de Guterres, passámos para 65 e 40 em 2005, e já foi denunciado por uma deputada comunista que este governo se prepara para nos reformar aos 68 anos). Perdeu-se o apoio na saúde, e os patrões, que são quem efectivamente manda nos governantes fantoches, andam a rosnar que devemos trabalhar horas extraordinárias de borla e reduzir as férias para haver mais produção.
Enquanto isso carrega-se num botão de autoridade subserviente aos interesses económicos, derrubando em jogada mediática, as torres de Tróia para amamentar os belmiros, permitindo-se a nódoa de mamarrachos que invade e suja a costa portuguesa, como é o caso da bosta de betão obrada na falésia de Sesimbra...
Ao pé da "Casa de Cera" os políticos do poleiro - dos quais me recuso a postar fotos pelo asco que me causam - são macabros títeres ao serviço dos donos dos grandes potentados.
No filme de Jaume Collet-Serra, o desempenho dos actores, a realização, os efeitos - sobretudo no final, merecem a vossa ida ao cinema. Porém, não percam a cabeça, como eu.
Quanto aos politiqueiros de meia tijela só há um destino: o desemprego.
Mas para isso é preciso que dia 9 de Outubro o voto de todos nós seja contra eles: em branco, ou numa alternativa a esta política do saque desenfreado aos mesmos de sempre.Tem de haver uma luz no fundo deste túnel contaminado de mediocridade, inveja,corrupção,demagogia, sacanisse,incompetência, desnorte.
Ficar em casa é correr o risco de ver o filme repetir-se. E eu sou dos que me importo com o estado de coisas.
Por isso gostava que a bobine tivesse o único fim que as películas mal dirigidas e interpretadas merecem: o lixo.

2 comentários:

Guida Alves disse...

E no dia 9, a mensagem só pode ser uma: RUA JÁ!, mesmo correndo o risco de parecer esquerdelha com este comentário. Mas é que também estou farta da mediocridade bem falante para o povão se iludir, ao mesmo tempo que favorecem os seus boys de estimação com os jobs que sacam da cartola como coelhos de ilusionista. Para não variar, o mexilhão continua na mesma como a lesma...

Elvira Bill disse...

Sempre podias ter saído a meio do filme, agora dos"outros" é que não te livras tão cedo.

E lá vamos cantando e rindo...levados, levados, sim!