"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

quinta-feira, abril 14, 2005

Hipocondríaco, eu?


A minha Páscoa não podia ter sido melhor: Um dente rachado de alto a baixo, que foi reconstituído ontem e a tensão que subiu a valores nunca dantes vistos...
Durante uns tempos vou andar num ritmo mais lento, porque há (AINDA!!!) a tese para acabar (pois é, convém nunca celebrar antes do tempo!!!) até ao fim deste mês, um trabalho de investigação centrado numa aldeia do sul do país, para concluir, além do serviço diário que um funcionário deve cumprir, apesar de termos tão má fama.Aliás, é curioso saber que os trabalhadores portugueses são dos mais dedicados e eficazes do mundo quando trabalham além fronteiras. Julgo que sei porquê: é que as chefias em Portugal não têm talento para dirigir. Dirigir no nosso país confunde-se muitas vezes com bota da tropa. Sabemos os resultado que dá: os patrões portugueses são uns pequenos salazares gananciosos, aliás tudo o que é proprietário só vê cifrões e as pesoas são esmagadas. As pessoas sem as quais eles seriam um cifrão reduzido a um molho de zeros. Por causa dessa forma de estar de patrões e chefes trogloditas passei meses a tomar medicamentos para estancar o stress e não ser engolido pela depressão. Tenho tendência a enervar-me com facilidade desde então. Por isso, não estranhem, se durante uns tempos fizer algumas pausas. Voltarei sempre que possa...
(fotografia de V.O.) Posted by Hello

4 comentários:

dreamteam disse...

Ok, mas não demores muito a regressar porque este blog já faz parte das minhas indispensáveis leituras diárias.
Quanto aos chefes ... felizmente há algumas boas excepções. Os ditadores e gananciosos não merecem que entremos em stress pelo trabalho. Cuida-te. um beijo

augustoM disse...

Essa é que a questão. A nossa economia não depende do governo como muitos querem, mas sim dos patrões, só eles podem dinamizar a economia. Mas, mal triste a sorte nossa, que ficamos dependentes dos nossos patrões. O patronato português, salvo raras excepções, é um patronato do mais incompetente que existe. A maior parte das pequenas industrias, e que são as maioritárias, são praticamente industrias de sobrevivência, em que muitas vezez se vai para patrão por não se querer trabalhar. A incompetência é alarmante, roçando o analfabetismo. Esta situação não é nova, foi sempre assim, só que a concorrência actualmente não se compadece com incompetências.
A trabalhar somos óptimos, a dirigir uns falhados.
Um abraço. Augusto

Jorge disse...

Caro águas do sul.
Foi para mim muito agradável percorrer o seu blog.
Por um lado, por falta de disponibilidade ou talvez por incapacidade minha, ainda não tive oporunidade de comentar os seus interessantes textos.
Vi com satisfação,que tem dado umas espreitadela ao grande companheiro bloguista " O Moscardo Laranja, um míudo excepcional,em todos os aspectos, mas sobretudo pelas inacreditáveis qualidades de ficcionista quase surreal que nos seus onze anos demonstra possuir.
Claro que para o compreender bem é necessário ter um sentido de humor apurado, como o comentário que o Águas do Sul lhe fez, demonstra possuir.

stillforty disse...

Luis
Tás hipocodríaco, és cá dos meus, mas não estás morto (lagarto!lagarto!). Vai ao meu blog que deixei lá uma coisa para ti, é uma cadeia de literatura que corre na net. Não quebres a cadeia. Vá, depois venho cá ver os teus gostos.
Se não quiseres, diz, que passo a outro.
Beijinhos
Teresa