"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

domingo, abril 25, 2010

25 de Abril com a Ronda dos Quatro Caminhos


























Não obstante o actual Presidente da República fazer os seus discursos de 25 de Abril sem cravo vermelho na lapela e ter negado uma pensão a Salgueiro Maia, em 1988, quando era primeiro ministro, a instituição Presidência da República abriu parte dos seus jardins ao povo, para celebrar esta data.
Quem ontem entrou naquele local podia ver nos muros imagens de um Portugal renascido em 1974 e nas paredes do edifício que alberga o Museu da Presidência uma projecção sobre a Revolução.
Depois, os milhares de pessoas que acorreram a Belém, puderam desfrutar de um dos mais belos espectáculos apresentados em Portugal, com uma chuva de estrelas. A Ronda dos Quatro Caminhos, grupo maior da Musica Portuguesa de Raíz Popular, revisitou alguns dos seus trabalhos, com especial destaque para "Terra de Abrigo", juntando em palco os Grupos de Aldeia Nova de S. Bento, dos Cantares de Évora, de Saias de Campo Maior, acompanhados pela Orquestra Sinfónica de Lisboa, dirigidos pelo Maestro Vasco de Azevedo e com participações notáveis de Kátia Guerreiro, Maria Toledo, José António Rodriguez, Pedro Caldeira Cabral e a encantadora Amina Alaoui, que também cantou em português.
A Ronda teve um dos seus grandes momentos, com uma energia, beleza e alegria que são a sua marca. Entrega total daqueles músicos de ouro, que tornaram a sessão numa festa de grande qualidade dignificando quem promovia e quem assistia, celebrando uma data maior na História de um Povo que renasceu e deve renascer sempre que as sombras impedirem o sonho de florescer.
Noite de recordar onde estávamos, quem éramos, há 36 anos...
Noite de sabermos o que queremos ser.
Noite de sermos!


Luís Filipe Maçarico

3 comentários:

Mané disse...

Tantas palavras para a luz e sentimentos que mais uma vez recebi com a tua companhia e de um concerto lindissimo, que tive a possibilidade de conhecer alguns artistas de perto.
Amina Alaoui, depois de um concerto, estar perto de nós ao ritmo de palvras simples, belas e sinceras,carreguei as minhas energias por tudo o que tu és e sempre foste na minha vida.
Obrigado, AMIGO...

José Rodrigues disse...

Pois é Luis,para mim este ano o 25 de Abril foi amargo, não saí de Mértola. Muito embora a Entidade Local tivesse feito distribuir alguns cravos vermelhos no sábado dia 24, na Feira do Queijo e do Mel que já vem do tempo da "outra senhora".

Luísa disse...

Lá em S. Bento, só foi pena terem terminado às 11H45 e não terem cantado a Grândola.... :(
Um abraço