"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

sexta-feira, novembro 13, 2009

Crepúsculo à Beira Tejo




Anoitece. Estes dias de Outono andam quase sempre sem luz, repletos de nuvens e tristes. Cada vez menos aprecio o Outono e o Inverno.
Se pudesse, ia para países onde fosse quase sempre Primavera e Verão...
No entanto, admito que esta época tem pores do sol, que são telas muito bonitas.
Antes de voltar a Mértola, para mais uma sequência de aulas, deixo este apontamento.

E uma palavra mais: há quem tenha desistido de ser estrela no céu dos meus sonhos.
Há muito que a poesia deixou de dizer que os olhos, a boca, os gestos, o corpo dessa aparição cintilavam e eram alimento para ganhar energia contra rotinas e cansaços.
Céu e sonhos agonizam.
Os ladrões de sonhos são inúmeros.
Começam nos governos, passam por chefias educacionais, militares, profissionais, de tanta coisa, que são especializadas em vampirizar os nossos dias.
E até certas miragens contribuem para nos arrancar o coração...
Mas eu falava... ah pois, do crepúsculo à beira Tejo!
Luís Filipe Maçarico (texto e fotos)

2 comentários:

Mané disse...

Engraçado e cinzento, mas sinto que vives, como sempre e sabes apreciar a vida de uma maneira muito especial.
Abraços

mariabesuga disse...

Exactamente meu Amigo Luís. À beira Tejo ou noutro lugar qualquer... mas crespúsculo! Pôr de sol lindíssimo que nos dás.
O pôr de sol em dias de Outono...
O nascer de dias grandes no Verão e de dias de sol ainda envergonhado mas já com cheiro e sabor a primavera...
Mas sol!
Sol dentro de nós...
Sol dentro de Ti que é o que Te faz Ser o ser especial que és como bem diz o Mané que Te conhece.

... sim porque ou "roubadões"(*) de sonhos andam por aí e não desistem de nos fazer invernos dentro dos dias que queremos quantes, doces, amigos e felizes do carinho em que nos construímos.
É Luís... os ladrões de sonhos são inúmeros e moram mesmo ali ao lado...

Jingã
Belmi
Dias Felizes para Ti.
Dias cheios do Sol que Tu És!...

(*) assim dizia a Patrícia quando era muito pequenina... desculpa mas apeteceu-me usar a palavra assim...