"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

quinta-feira, novembro 05, 2009

CAIS DO GÁS






O sítio onde trabalho, desde finais de Novembro de 1995, tem o Tejo como cenário.
Muitas vezes saí com a Vanda, até ao pé das ondas, para partilhar o prazer de um sol de mel ou a alegria de uma boa notícia, pedindo conselhos, rindo a bom rir, ou embalando melancolias, que mergulhavam no nevoeiro de certas manhãs.
Há objectos silenciosos, onde traineiras e batéis diversos ficaram atracados.
Versos e asas deixam, algumas vezes no céu azul, um grito branco.
Espero por outros dias, com novas cumplicidades, amiga.
Sei que me lês, que te emocionas, que o sonho continua a dar-te força.
Muitas vezes mais havemos de sair, após um dia de trabalho, com aquele odor de maresia nas narinas. E a ternura nas pegadas.
Ali, no Cais do Gás,ao Cais do Sodré...
Bem vivos, desforrados das emboscadas da vida. A rir muito!
Adoro-te, Amiga!
Luís Filipe Maçarico (texto e fotos)

2 comentários:

elvira carvalho disse...

Passei para actualizar a leitura.
Desejo que esteja tudo bem consigo e principalmente que a sua amiga esteja a recuperar a saúde.
Um abraço para os dois.

elvira carvalho disse...

Deixo o meu abraço à Vanda, e que tudo esteja a correr bem no sentido certo da recuperação.