"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

quarta-feira, março 25, 2009

Tamareira


Não sei se sabes
mas tens sido
um alimento
para o meu espírito...
***
Morro de fome,
todavia...
***
E deixar
de te ver
enfraqueceu
este sentimento,
que não resiste
à ausência de
sonho e asas.
***
Sou tamareira,
preciso da água
dos teus olhos
para viver.
25-3-2009, 09:46
Luís Filipe Maçarico (fotografia e poema)

2 comentários:

Fernando Pinto disse...

«(...) Sou tamareira,
preciso da água
dos teus olhos
para viver.


Lindo!

Abraço, amigo Luís! Sim, está tudo bem por Ovar. Vou começar a trabalhar com o P.e Bastos no jornal e na Internet (blogues). Não me esqueci do teu convite para fazer uma exposição em Mértola... Quando puder, falamos...

girassol disse...

Há muito tempo trouxeste para mim tãmaras da Tunísia. Ou foi ontem?...

Estás a escrever os poemas mais bonitos que te conheço. Estás a pôr o sangue nas palavras. Fazem-se de coração estes teus poemas mais recentes.
Tão bonitos!!!...

Apeteço-te coração feliz.

Jingã
Belmi