"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

domingo, março 08, 2009

Miragem


(Quase não dormi pensando
no nosso amor de lágrimas...)
As nuvens levantam-se
sobre o verde cinza dos campos
onde o orvalho fez ninho.
Oliveiras e sobreiros
espreitam sílabas enluaradas...

Quero ser a voz dos mil pássaros
que coroam o teu voo na terra
do granito e das cerejas
dos carvalhos e dos sonhos.
Trago os teus lábios
na minha boca e saboreio
os frutos da tua língua
que nunca beijei.
Guardo as palavras quentes
de uma madrugada de promessas...

O comboio matinal
leva-me para o sul
numa pequena viagem
onde o grande rio da poesia
canta saudades.
Fazes falta nesta paisagem
de esperas e desencontros
risco frases, rasgo versos...
mas as tuas mãos tardam
e os teus olhos são miragem...

Luís Filipe Maçarico (poema e fotografia)

2 comentários:

rosa disse...

Simplesmente belo...
Aquele abraço da amiga certa.

Mané disse...

Quero chegar a esta idade e ferver de sentimentos que despertam um brilho um pouco enrulado com os brancos vincos das rugas.
Mas apetece ler e ouvir, sentir o rebento do calor que nos faz estremecer.