"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

quinta-feira, março 16, 2006

Exílio


Nunca precisei tanto de respirar, no sentido físico e metafórico. Levarei comigo um caderno como este para o meu exílio na ilha de Djerba. Volto daqui a uns tempos...
(foto de Sónia Frade) Posted by Picasa

7 comentários:

augustoM disse...

Luís, não posso ir a Coruche, a minha mãe adoeceu e tenho que cuidar dela, tem 85 anos e está de cama. Uma boa jornada para vocês.
Um abraço. Augusto

Pete disse...

Boa viagem e divirta-se caro Luís, olhe e já agora aonde fica essa ilha?

Um abraço,

Pedro Gonçalves.

Mendes Ferreira disse...

beijo Poeta....e o teu caderno é magnifico...e em Djerba está-se bem. mt.


beijos nunca exilados de ti.

AHS disse...

Bonjour Luis!
Que tal o tempo por aí? muitos mergulhos, mts passeios, mts tascas, mt leitura, mt escrita?????..Pois, nós, por cá fizemos uma bela visita por Coruche e Santana do Mato, que vai fazer roer-te de invejinhas...,logo vês pelas fotografias!
Aproveita para descansares de verdade, tenta pensar no vazio, que é difícil!!!, mas resulta, para quebrar o "streque":) :)
Até à exposição sobre Adeodato
Um abraço apertado,
Dinamómetro

O Restaurador disse...

I Encontro de Blogues em Vila Viçosa

Participe e divulgue! Saiba mais em http://encontrodeblogues.pt.vu/ e no Restaurador da Independência.

Saudações!

plenitude disse...

Eu, pássaro do Sul, cantarei para ti ao anoitecer na mais assolada palmeira de Djerba...

A Rapariga disse...

Deves estar quase a voltar. Diz se te divertiste e descansaste.
Beijinho