"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

domingo, fevereiro 19, 2006

"Diários de Motocicleta"




Walter Salles realizou "Diários de Motocicleta", com um ritmo e uma sensibilidade que desempenhos e imagens comprovam tratar-se de um trabalho de mestria.
A fantochada dos óscares atribuiu-lhe o prémio de melhor canção original, o que não espanta, pois Che Guevara, o personagem central da película foi assassinado nas florestas da Bolívia pela CIA.
Gael Garcia Bernal é excelente no papel de Ernesto Che Guevara, com 23 anos, quando era estudante de medicina e decidiu fazer uma viagem de muitos milhares de quilómetros em motocicleta, com um amigo formado em bio-química. Rodrigo de la Serna, na vida real primo em segundo grau de Guevara, é Alberto Granado, o amigo que Che convidou quando já era o mítico comandante da revolução cubana, para viver em Havana.
Os dois atravessaram países, rios, montanhas, para descobrir no Perú uma colónia de leprosos e mais não digo, porque participamos na revelação emocionante da construção de uma identidade. O filme segue de perto o que ambos escreveram, a propósito desta intensa e belíssima viagem, com um rigor que registou a participação do próprio Granado, bastante idoso, mas "muito jovem de espírito" vindo de Cuba, para acompanhar as filmagens como consultor.
Se gostam de cinema, vejam esta obra, que já existe em DVD, acompanhada pelo documentário das filmagens, que é outro filme dentro do filme, a não perder.

2 comentários:

MRS disse...

Eu diria com toda a certeza, se um dia me perguntassem, qual o filme da minha vida, respondia que este seria um dos filmes da minha vida pois há outros, este filme que tive o prazer de o ver com alguém de quem amei muito,mas as contigências da vida separaram-nos, a minha amiga e amada Carmen, companheira de 5 anos de Nacionalidade Andaluza, dizia eu que, este filme marca o inicio da tomada de consciência de um dos grandes homens do sec 20, em todos os sentidos, chorei, gritei, amei e tb sorri ao ver este filme, ainda bem que me fizeste lembrar, pois vou ter de revelo, é uma história de dois homens que lutaram por causas em que eu acredito e cada vez mais acredito que são tão actuais como eram no seu tempo, a talhe de foice outro filme que gostei muito tb, foi o "Carteiro de Pablo Neruda", lembras-te Luis, que o carteiro se chamava Mário.


Mário Sousa

Fernando Manuel O. Pinto disse...

Ora aqui está uma excelente dica! É claro que vou ver!