"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

terça-feira, agosto 03, 2010

Metáfora


A pequena
palpitação
da vida
invade os meus
dias,
sob a forma
de uma ave
desprotegida.


No silêncio
da casa,
repleta de memórias,
o seu voo é a música.


A sua pegada, ou melhor
a pegada da poesia,
ilumina
este tempo
melancólico,
perto da velhice.


Um pássaro pode ser
metáfora contra a solidão
na luminosa manhã de Abril...


3/8/2010

Luís Filipe Maçarico (poema e fotografia)

5 comentários:

REPENSAR disse...

muito bonito o poema e também a imagem do pombo que se tornou grande e bonito desde a ultima vez que o vi...Um abraço para um amigo dos animais ;)

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...


AFECTUOSAMENTE
AGUAS DO SUL

ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER Y CHOCOLATE.

José
Ramón...

oasis dossonhos disse...

Repensar: Grato pela visita e pela partilha da boa energia.

Maestro Jose Ramon Santana Vazquez: eres un placer vuestra visita. Muchas gracias!
Luís

Fernando Pinto disse...

Abraço de Ovar, amigo Luís! Gosto muito da tua poesia... Dá-nos asas...

EVB disse...

muito bom!