"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

domingo, setembro 28, 2008

Cais das Colunas - Um Poema




O Cais das Colunas, tema de tantos poemas e recordações, parece renascer, no sítio onde anteriormente muitos lisboetas viveram momentos inesquecíveis.
Num livro meu há a reprodução de um desenho do cais, cujo autor foi o pintor Rodrigo Dias, que mergulhou a folha onde desenhara, nas águas do Tejo. O desenho tem a marca desse momento em que o rio entrou na página...
O Cais das Colunas renasce. Que novos versos e estórias acontecerão?
Para já, fica este texto acabado de escrever:

"Estive muitas vezes neste Cais
contemplando o Tejo
nuns olhos ou o futuro
no silêncio da página.

Espero por essas colunas mágicas
para escrever mais versos
onde um sorriso volte a inspirar
novas marés de afecto."

Luís Filipe Maçarico

2 comentários:

girassol disse...

A teus olhos os afectos dos lugares que sentes e dás, pelas palavras...

jingã

daniel disse...

Belo poema