"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

domingo, março 27, 2011

Desporto e Frustração Social


‎A propósito do excessivo absurdo, que prolifera no futebol português, de que são exemplo os tumultos desta madrugada em Alvalade, a obra emblemática do professor José Esteves escrita há 41 anos continua actual.
Deixo aqui dois excertos para reflectirmos:

"Só há uma forma de entender o fenómeno desportivo: na perspectiva das estruturas sociais. O que há de característico e fundamental, no desporto é, justamente, o que define e caracteriza a sociedade em que ele se realiza. No actual tipo de relações humanas, o desporto é, naturalmente, um fenómeno de alienação''José Esteves, 'O Desporto e as Estruturas Sociais', 1970, Prelo.

"A rivalidade no desporto é tanto maior quanto maiores forem as rivalidades sociais, regionais, nacionalistas e outras. E a ambição da vitória é uma preocupação tanto mais acentuada quanto maiores forem as frustrações pessoais.
As dívidas monstruosas contraídas pelos clubes exprimem toda a obsessão do resultado. Se as agremiações desportivas vegetam na grandeza dos seus défices, é porque os associados fazem do comportamento das equipas uma razão de prestígio, um motivo de vergonha, uma questão de honra. Para garantir ou acautelar os êxitos, são os dirigentes obrigados a comprar os jogadores mais habilidosos ou esperançosos, por verbas incomportáveis, e sempre crescentes. Como, de igual modo, são forçados a contratar, a peso de oiro, os treinadores de processos fulgurantes, os que melhor dirigem ou conduzem os homens, nas batalhas dos estádios. E para cobrir as ofertas dos adversários e os encargos resultantes, com frequência desabusada se recorre à mobilização de mecenas, aos empréstimos urgentes, às hipotecas de ocasião, às influências políticas, aos favores dos governantes. Para não falar, já, da pressão moral e, mesmo, do suborno de árbitros e contendores, como também dos habilidosos processos de secretaria, da agressão corporal, da utilização de excitantes pelos jogadores da própria equipa, etc." Ibidem.

Luís Filipe Maçarico (pesquisa)

2 comentários:

POC disse...

Em vez de saudável, o desporto, e essencialmente o considerado rei, torna-se cada vez mais doentio... É triste.

prof. disse...

O nosso amigo Luis sempre em cima dos acontecimentos... e com uma rica pesquisa.
Ou muito me engano ou ainda vai ser pior, de agora em diante... as multidões não pensam, nem nunca pensaram e o desporto anestesia o cérebro, quando é assim doentio e inflamado...
Ao desporto, infelizmente, falta sempre desportivismo... ou estarei enganada??
Beijo, amigo.