"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

quinta-feira, junho 02, 2005

A Volúpia da Cor (I) e Um Reparo


Foi um prazer para os sentidos, calcorrear o labirinto das ruelas do centro histórico de Mértola, nesses dias inesquecíveis. Apenas um senão: daqui a dois anos convém haver mais ruas disponíveis para a festa, mas com bancas só de um lado, para facilitar a mobilidade da multidão de forasteiros que de festival para festival cresce. Não é muito confortável, com o calor que estes dias de Maio já mostram para aquelas bandas, ter de experimentar a sensação do metro em hora de ponta, porque quem quer ver e comprar tem de parar e quem deseja circular tem de aguardar largos minutos que um negócio se conclua, uma mirada mais prolongada termine, uma troca de impressões entre visitante e vendedor se concretize. Acresce que muitos jovens casais trazem a criançada em carrinhos, dificultando ainda mais essa circulação. Será possível alterar esta situação e melhorar a fruição de 2007?
ÒManuel Passinhas, ò Miguel Rego, ò malta da organização! Vejam lá estes pormenores, se faz favor!
Os amantes da Mértola Islâmica agradecem!
(foto de LFM) Posted by Hello

1 comentário:

Ana Teresa Bonilha disse...

imagino uma babel não só de línguas, mas de cores e culturas e mas com harmonia e união... não sei se aqui, tão distante disso tudo, posso tentar experimentar o que foi... mas minha cabecinha voa, atravessa o mar e procura essas sensações...