"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

quarta-feira, junho 29, 2005

Mastros em São Teotónio-III


Na noite de S. João, o povo acredita que, se for à fonte e beber à meia-noite, da água que dorme, será beneficiado em aspectos tão diversos como a saúde a beleza. Por isso em São Teotónio, confirmei o que o antropólogo Veiga de Oliveira escreveu na sua obra "Festividades Cíclicas em Portugal".
Confirmei e partilho connvosco, através desta imagem. Os cantos que as mulheres entoaram, partilhei-os na altura com a Vanda e a Maria Amélia.
Acrescento que as flores e plantas que ornamentavam as bilhas de barro eram verdadeiras e se desprendia delas um aroma a mantrasto da ribeira que nos remetia para a tradição, quando tudo era real e não reinvenção. Foi bom voltar a encontrar esta memória, bem viva nos gestos e nas palavras, numa noite mágica desse Alentejo que tem o mar perto... Posted by Hello

3 comentários:

C.S.A. disse...

Lindo, Luís!
Abraço.

C.S.A. disse...

E não consigo falar-te.

Ana Teresa Bonilha disse...

Lindo, passou não apenas a imagem mas fiquei a imaginar o aroma, o clima, a atmosfera desse ritual.