"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

quinta-feira, outubro 27, 2011

Retrocesso


Em 1906 e 1911 duas prestigiadas colectividades de Lisboa, foram fundadas para combater o alcoolismo, que grassava entre a classe operária...Tempos difíceis de míngua, de grande disparidade social...

A luta do povo, ao longo do último século, proporcionou uma vida menos atribulada...

Em 2011, cem anos depois, o vinho é taxado a 6%, enquanto uma sopa, uma água, uma peça de teatro, passam a ter IVA de 23%.

Salazar dizia que beber vinho era dar pão a um milhão de portugueses. Pelos vistos, deixou seguidores diligentes, que o homenageiam, fazendo empobrecer o povo, fazendo recuar a marcha dos dias...

Eu sei que foi nas tabernas que o fado floresceu e pelo Alentejo, nas tabernas, o Cante teve uma das suas melhores escolas...

Mas o fatalismo, que os vampiros desenfreados parecem querer impôr aos trabalhadores, é opressivo, pois empurram de novo as pessoas para um quotidiano humilhante...

Acredito que a luta da razão obterá resultados, que terão o sabor da desforra, perante a afronta. E quando alguém erguer uma taça de vinho, que seja para festejar a vitória sobre os novos esclavagistas.

Que não se afogue a energia no álcool, pois ela faz falta, para enfrentar a ameaça mais insultuosa, com que os trabalhadores foram confrontados.

LFM (texto e foto)

2 comentários:

Evanir disse...

Gostei muito de conhecer seu blog
e da sua postagem.
Já estou seguindo seu blog.
Um feliz final de semana beijos.
Evanir

elvira carvalho disse...

Como tem razão amigo.
Um abraço e bom fim de semana