"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

terça-feira, agosto 26, 2008

Luísa e José






No sábado do eclipse da lua, passei a tarde a conhecer sítios mágicos, graças à Luísa e ao José Manuel. Assim, sem mesuras, apenas com a imensa gratidão de quem os estima.
Foi realmente muito bom compartir com eles a alegria da descoberta, em relação a sítios encantados como Almoster.
Apesar de alguma chuva eles foram o sol. Os amigos são sempre o sol!
Ao seu lado encontrei amoras, andávamos então em Torre Penalva...
No castro de São Pedro, percorremos de novo um espaço milenar, onde o silêncio é rei.
Pela Azambuja andei nessas horas, voltando ao doce embalo do sorriso e dos olhos destes amigos. Eles são alimento espiritual, benéfico para a minha caminhada neste mundo. Espero que a minha companhia também lhes faça bem.
Permitam que lhes dedique este post e lhes agradeça o ar excepcional que respirei naquelas paragens. Voltando a tirar fotografias um ano depois de ter estado em Manique do Intendente e que se apagaram da máquina sem ter carregado em nenhum botão...
Desta vez trouxe comigo imagens de ternura que lhes ofereço pela poesia que contêm.
Bem Hajam!
Luís Filipe Maçarico (texto e fotos)

2 comentários:

elvira carvalho disse...

Bonito o passeio. Mas de tudo ficou-me o desejo das belas amoras silvestres de que gosto tanto.
Um abraço

oasis dossonhos disse...

Mensagem recebida a 5 de Setembro:

jmp enviou-lhe uma hiperligação para um blogue:

"Conseguiste transformar um simples passeio em poesia vivida. Gratos. Só te esqueceste de mencionar os sabores: os poejos que andaste a apanhar no castro de Vila Nova de S. Pedro... JMP "

Blogue: aguas do sul
Mensagem: Luísa e José