"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

domingo, agosto 03, 2008

Lisboa, Muita Beleza, Alguma Ruína e o Triunfo dos Torniquetes


















Sexta feira consultei uma nutricionista para eliminar gorduras a mais. Além da dieta, que só começo verdadeiramente na segunda e após uma "ambientação", em que alterei alguns hábitos, andei duas horas por Lisboa. Percorri o Castelo de S. Jorge e o respectivo bairro, desci à Sé, passei por Alfama e terminei o périplo no Terreiro do Paço.
Partilho convosco algumas das muitas imagens recolhidas. Afinal é possível passar um belo domingo de Verão, calcurreando bairros antigos e monumentos, que são incontornáveis. Quem deseje descobrir os segredos e os encantos da capital, pode fazê-lo gastando pouco dinheiro. Uma garrafa de água, um boné, roupa adequada para as quenturas desta época, se habitar em Lisboa não paga, porque actualmente é necessário pagar 5 euros para entrar no Castelo. Passou-se do 8 para o oitenta. Há uns anos atrás, andavam mais carros que pessoas dentro do recinto. Agora, torniquetes, como nos Bancos, no Metro, nos barcos para Cacilhas...Vi um dos seguranças a gritar rua a uns espanhóis despassarados... Isto é o progresso?
A cidade é de facto (ainda) muito bonita, mas precisa urgentemente de uma "volta", através da reconstrução e da salvaguarda de um património que roça a ruína... e de menos torniquetes!

5 comentários:

Paulo Sempre disse...

«andei duas horas por Lisboa. Percorri o Castelo de S. Jorge e o respectivo bairro, desci à Sé, passei por Alfama e terminei o périplo no Terreiro do Paço».

Mais um pouco visitava o Bairro Alto e a Mouraria.

Excelentes imagens do meu quotidiano.

Paulo

Guida Alves disse...

Quem me dera de novo a liberdade de (re)fazer estes percursos! Mas deixo expressa uma proposta "indecente": que tal Sintra, um destes dias?
Pensa nisso e até lá aquele abraço.
G.

Ana disse...

Olá Luís! Já tinha pensado fazer isso num dos meus dias de férias em Agosto. Só quero acrescentar a feira da Ladra por ser um lugar antropológico para mim fascinante, não fosse o facto de ter feito aí a minha monografia da Licenciatura. Depois direi do meu percurso no meu blogue. Beijinhos, Ana M.

marialascas disse...

Lisboa é a minha cidade preferida. Como alentejana da planície sempre vi Lisboa como o centro do Mundo. Pouco me enganava, porque o centro da Terra não é a Casa Branca a Bolsa de Londres ou Nova Iorque... O centro da Terra é o lugar onde estivermos em cada momento, mas isso não retira luz e graciosidade, muitas vezes provinciana, da nossa Capital. Força quanto à dieta! dizem que não é impossível...BJS

elvira carvalho disse...

Sabe que eu nunca fui ao Castelo?
Trabalhei vários anos em Lisboa, na rua Saraiva Carvalho, vivi em Monsanto, junto ao Campo do Casa Pia, Trabalhei no Lourel, e em Alcabideche. Vivi em Odivelas. E sabe de uma coisa? Lisboa é das cidades portuguesas uma das que menos conheço.
É uma vergonha, mas é a realidade.
Um abraço e bom fim de semana