"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

sexta-feira, junho 09, 2006

Campeonato da Ignorância



Começa hoje o Campeonato Mundial de Futebol. Não se consegue abrir o aparelho de rádio sem escutar não-notícias acerca do padre que foi à Alemanha de propósito entregar uma canção composta para a selecção, outro que chegou de bicicleta desde as berças, para oferecer bandeiras, e tudo é pretexto para dizer nada. Anda tudo à babugem como aquelas gaivotas que pescavam cagalhotos no cano de esgoto ao pé da estação fluvial Sul-Sueste...
Começa hoje um encontro entre os escolhidos das elites do futebol, que se querem fazer passar por representantes de países e a populaça toma por iluminados.
O negócio é colossal. Quantas multinacionais envolvidas! O capitalismo baba-se por ter um alicerce tão robusto, por a ignorância e o fanatismo serem tão bons terrenos para tão basta colheita.
E os alemães aproveitam: é fartar vilanagem! Venha mais uma salsicha de Frankfurt e uma caneca de Munique!
Quanto ganham Scolari, Figo, Ronaldo?
Pergunto apenas isto: para erradicar do Mundo a fome, quantas mulheres se uniriam para formar a mais bela bandeira?E quantos homens dariam o seu contributo moral e material para acabar com a miséria neste planeta? E os tais ilustres quanto dariam do seu bodo-overdose?
Porque razão para as causas mais humanas e arrepiantes as pantufas falam mais alto?
(pinturas de Siqueiros-Nuestra Imagen Actual-e Rivera-La noche de los pobres)

7 comentários:

LFM disse...

Acho que quero (por nós e pelos emigrantes), que Portugal seja eliminado bem cedo do mundial.

Pelos emigrantes (tal como explico no meu blog), porque ainda não se deram ao trabalho de pensar, por quem de facto, deveriam estar a torcer.

Por nós, porque temos de parar de andar dopados com eventos mediáticos e encarar a realidade.

Como não aprecio futebol, ainda não ‘apanhei a pedra’ que me permite encarar os próximos dias com um sorriso estúpido nos lábios e consigo interpretar o sorriso cínico dos nossos dirigentes durante esta época, quais comerciantes de droga rodeados de toxicodependentes.

Desculpa lá esta minha interpretação rude do ambiente em que vivo, pois por vezes sinto uma certa inveja dos apreciadores de futebol. Eu cá, dedico-me à culinária e nem nisso tenho tido prazer, pois estou a fazer dieta. Será a dieta a verdadeira origem do meu mau humor? Penso que não.

MRS disse...

De facto é bem verdade este texto, tb eu estou farto de futebol, de manhã á noite, basta.

ismael disse...

A todos aqueles que estão fartos de futebol, deixo um conselho... há mais coisas que nos rodeiam e que nos podem trazer muitas alegrias e emoções!
Para que dar importancia ao que não interessa?! Desliguem a rádio, não comprem jornais, excepto o Avante!, e divirtam-se com coisas mais interessantes... vão ao teatro por exemplo, a um museu, telefonem a um amigo... sorriem!!!

paula silva disse...

Não vou tão longe...
Até porque vou ver o 1º jogo de Portugal!
Mas não sou doente, nem pensem que me distraem do que se passa à nossa volta só porque há mundial!
O PROBLEMA É ESSE! É que É SÓ um Mundial!
Não nos vai resolver os problemas da segurança social, nem a fuga ao fisco, nem vai baixar os impostos, nem melhorar as carreiras, nem baixar os juros do crédiro à habitação, que estão pela hora da morte!
Ponham eles bandeiras ou usem camisolas, façam programas especiais ou não, quero lá saber! Nada disso me paga as contas ao fim do mês, no meio ou no princípio!
O povo quer futebol e a comunicação social dá! (o novo ópio) Não é nada de novo! Enquanto isso a política trama-nos, as manifestações multiplicam-se, o país já começou a arder... Mas eu vejo os jogos sem ficar cega para o resto do meu mundo...
Nem deixo de ir trabalhar por haver futebol... Nem faço uma viagem à Alemanha, provavelmente paga em prestações, só para dizer que estive lá, ou para aparecer na TV!
Pronto, já desabafei!
Não é contradição... é a vida!

Pete disse...

Luis, eu gosto de futebol, mas não deixo de achar que eles poderiam fazer mais por causas nobres, porque a voz deles chegaria aonde não chega a dos políticos, dos músicos ou das estrelas de cinema. Também poderiam doar a maior parte dos bens deles, e mesmo assim ainda nadariam em dinheiro.
Os futebolistas não são os únicos, pois os jogadores de golfe, ténis, os pilotos de fórmula um, as estrelas de cinema, os músicos e muitos mais poderiam ser mais humanitários.

Um Abraço e bom fim-de-semana,

Pedro Gonçalves.

Fernando Jorge Pires disse...

Caro amigo Luis:
Eu sou um adepto confesso de futebol. Adoro ver um bom desafio e delicío-me com maravilhosas "obras de arte" e magia que alguns bons jogadores conseguem fazer, porque têm talento para tal. MAS, não é tudo. Sinto o mesmo pela música, onde os U2 são uma banda fascinante. Mas posso dizer o seguinte: Sou do Sporting e ao estádio de Alvalade fui muito poucas vezes. Mas fui lá, em 1993, para o Zoo TV Tour dos U2. A diferença é que o Bono Vox, vocalista desta banda, faz mais pela luta contra a fome, do que qualquer jogador de futebol. Eles que vejam o exemplo, que criem empresas com o objectivo da canalização dos lucros contra a fome em África. Foi o que fez o Bono. É por isso que o admiro, mais do que qualquer jogador de futebol. Melhor que o mundial foi o Rock in Rio.

1 abraço de Alpedrinha.

J.C.Pereira disse...

...e as bandeirinhas Luis ? e as bandeirinhas ao vento ?
País de carneiros sem miolos.
Um abraço
João