"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

segunda-feira, janeiro 16, 2006

Instantes de Vida


A noite passada, depois de me ter encontrado com a malta da marcha de Alcântara, para participar no nascimento do tema e dos figurinos, diverti-me à grande com o filme de João César Monteiro "Bodas de Deus", que passou na 2.
Hoje à tarde, quando a chuva parou, a Ana trouxe-me até Lisboa, para reunir com o Fernando Duarte e o José Alberto, a fim de fazermos o boletim da Aldraba...
Só que na ponte 25 de Abril, um carro bateu com a parte da frente e a traseira no rail protector, mesmo à nossa frente, centímetros de distância.
Limitei-me a dizer "tem calma". A Ana foi espectacular e travou, sem problemas.
Ninguém ficou ferido, apenas um grande e aparatoso rombo no carro que se atravessou no nosso caminho.
Estamos vivos, é a grande constatação. E para que o dia de amanhã corra bem, vou-me deitar, para descansar o suficiente e acordar bem disposto...
(foto de LFM em Alte)

4 comentários:

Anónimo disse...

Depois das inúmeras gargalhadas que demos ao ver o filme e do nosso belo serão passado com a nossa amiga Rosa, aconteceu aquele tremendo susto, talvez um dos maiores das nossas vidas. Foi mais um 'marco' intenso para juntar a tantos outros que têm marcado o nosso caminho juntos.
Ainda estou para perceber como saimos sem um arranhão ...
beijinho
ANA

amparorg@mail.pt disse...

subito amparo
que afinal não foi...
sendo embora
eu, amparo.

Gostei mto de conhecer o luis naquele cenário já montado para o conto que há-de vir.
Foi bom poder ler e ficar a conhecer as "ESTRELAS" que irei ver e ouvir amanhã.
Um abraço e até amanhã
Amparo

Fernando B. disse...

Ainda bem que tudo "acabou em bem".

Estou à espera da tua inscrição para o nosso Encontro de dia 28.

Um Abraço,

relampago disse...

olha...que bom voltar a ver-te...tás l i n d o. meu doce amigo.


b.e.i.j.o......e vais ter de adivinhar....:)