"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

segunda-feira, junho 30, 2014

Viva Raja Litiwinoff!

Raja Litiwinoff é uma amiga muito especial. Nos anos 60, os pais - oriundos da Alemanha e da Rússia - conheceram Portugal. Aqui cresceu. Daqui partiu, para cooperar, em diversos países lusófonos, como Moçambique, Cabo Verde e Brasil. Mas também esteve no Mali. Isto depois de ter trabalhado na Pedreira dos Húngaros, ou de ter coordenado projectos, ligados aos Jogos e aos Contos, no âmbito da educação.

 Na sua tese "Inquietação, memória e afirmação no batuque: música e dança cabo-verdiana em Portugal"  apresentada à Universidade de Aveiro, em 2012, Jorge Manuel de Mansilha Castro Ribeiro dedica-a, entre familiares e amigos, " À Raja Litwinoff que me abriu as primeiras janelas da vida cabo - verdiana em Portugal." Creio que este exemplo diz bem, da importância desta mulher na promoção das culturas lusófonas.

Raja Litiwinoff foi a tradutora, com Rodrigo Dias, dos versos, em francês, do livro "Os Pastores do Sol". Espalhou esse livro pelos países onde viveu.
E recentemente, Porosidade Etérea acedeu também, através da fraterna Raja, aos primeiros poemas que editei, em 1995, sobre a Tunísia.
Confraternizámos ontem, na Casa do Alentejo. Bem Hajas, querida Raja!

5 comentários:

Elvira Carvalho disse...

O mundo está sedento de gente como a Raja.
Que Deus a abençoe.
Um abraço

Elvira Carvalho disse...

O mundo está sedento de gente como a Raja.
Que Deus a abençoe.
Um abraço

maria lascas disse...

Com pessoas assim se escreve a palavra Mulher!

maria lascas disse...

Com pessoas assim se escreve a palavra Mulher!

Mar Arável disse...

Boa partilha