"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

sábado, outubro 13, 2012

Os Frutos Podres

Fui ao dicionário ver o que significa o nome daquele senhor...e li: "Que frutifica várias vezes. Que tem ou produz muitos frutos."
Fiquei esclarecido...os frutos que este homem expele são podres, como se em vez de frutificar, defecasse.

Ora digo isto, porque nem o supremo camafeu escapou à onda de cretinice, que varreu a sociedade. Em vez de se condoer, com o sofrimento de muitas famílias lusas, preferiu injectar a sua colherada de veneno político, opinando que isto, nem com revoluções muda, como se fosse dono das almas e da verdade absoluta.

Porque será que esta fauna, em vez de urrar, não se cala? ou fuma!

A isenção, com que estes personagens deveriam desempenhar os papéis que lhes couberam, é nula.
Estão na igreja (que se diz pobre) para servir os poderes. E fazem-no, a céu aberto. 
O esgoto das palavras jorra tumultuosamente, qual blasfêmia, contra os desprotegidos, que pouco mais têm que a rua, que quase nada já têm a perder.

No fundo, o que o avantesma mor quis dizer foi: andem pelo facebook, joguem uns joguinhos, aguentem, sofram como Cristo padeceu, que o paraíso será vosso e eu cá na terra a desfrutar (com todos os vaticanos deste mundo aplaudindo a mansidão) à pala do vosso medo. Se saírem à rua perdem tempo e ainda podem levar porrada. Fiquem à espera, que isto há-de ficar melhor um dia...se os deuses do olimpo vos concederem tamanha graça!Ou não estão contentes, por são gaspar vos ter bendito, como o melhor povo do universo?





Podem todos os trapaceiros zurrar, contra a indignação popular, desmotivando, tentando domesticar trabalhadores e desempregados, que muitos portugueses, entre os quais eu me incluo, sairão sempre que for preciso, largando o conforto da casa, em busca de um futuro melhor para o colectivo, pois não é possível viver descansado, enquanto os outros sofrem, tendo como motivo de vida "o umbigo é quem mais ordena!"


LFM

2 comentários:

Céu Ramos disse...

Esse que se expressou de maneira mais indecente sobre a nossa participação em manifestações, deve ter medo que o povo deixe de precisar de esmolas. O povo não quer esmolas, quer trabalho com diginidade. Que falta de pudor. Eu sinto-me no direito de dizer, porque razão o governo não cortou as fundações religiosas? Como não tenho as responsabilidades de D. Policarpo, digo...Cortem-se os acordos da concordata para assim terminarem as fundações religiosas. Tal como se acabam com qualquer contrato ou acordo!

elvira carvalho disse...

Ouvi incrédula amigo. Felizmente que parece não ser essa a opinião da maioria da igreja, pelo que tenho ouvido e lido de outros bispos.
Um abraço.