"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

terça-feira, junho 10, 2008

DEMOCRACIA? SÓ SE FOR DE SENHORES E ESCRAVOS!...


Até quando o excesso de notícias sobre a selecção e o portuguesismo dos emigrantes tugas na Suíça e das bandeiras nas janelas dos moradores dos bairros sociais vai servir para esconder os graves problemas sociais, que dia a dia vão aumentando?
Não podemos ignorar a especulação, ligada ao aumento do petróleo e as sucessivas paralisações de pescadores e camionistas, os 250 mil manifestantes na Avenida da Liberdade, a incerteza dos dias que se seguem...porque estas "Águas do Sul" não são paradas!!!

Escutámos a notícia na Antena 1 confirmámos no Público on line e, estupefactos, constatamos definitivamente que estamos a viver um regresso ao século XIX, como diz o blogue de Fernando Baptista: http://urgenciainterna.blogspot.com/2008/06/back-to-1820.html
"Mais de 180 anos depois, regressados a 1820!!!! Deve ser um filme de terror. Só pode."

"Aprovação de directiva comunitária
Ministros europeus chegam a acordo para prolongar semana de trabalho até às 65 horas
10.06.2008 - 11h25
Por PUBLICO.PT
Depois de quatro anos de negociações, os ministros europeus aprovaram hoje a Directiva do Tempo de Trabalho, chegando a acordo sobre a possibilidade de prolongar a semana de trabalho das actuais 48 horas até às 65 horas, se assim o entenderem o funcionário e a empresa. O documento ainda tem de ser votado no Parlamento Europeu. A directiva, cuja aprovação ficou marcada pela abstenção de cinco países, fixa a semana de trabalho na União Europeia num máximo de 48 horas. Em Portugal vigora um máximo de 40 horas. No entanto, é permitido que este máximo possa ser alargado até às 65 horas. Este documento não abrange os contratos com menos de dez semanas de duração. A Comissão Europeia já saudou o acordo político. “Este é um grande passo em frente para os trabalhadores europeus e reforça o diálogo social. Mostra, mais uma vez, que a flexisegurança pode ser posta em prática”, comentou o comissário europeu para o Emprego, Vladimir Spidla.

Sofia Loureiro dos Santos comenta a notícia desta forma:

"Como é possível que esta União Europeia, que negoceia e aprova tratados nas costas dos cidadãos, tenha a audácia de regressar às leis da selvajaria no mercado de trabalho, olhando para os cidadãos que jurou proteger como uma horda de escravos modernos que, para além do mais, com a globalização, o aumento da tecnologia com a consequente diminuição da necessidade de pessoas para a execução de múltiplas tarefas, e a inexorável subida do desemprego, retiram qualquer capacidade de negociação por parte dos trabalhadores ou dos seus representantes.

Onde está a matriz social democrática europeia? Onde está a defesa da dignidade da pessoa humana e do trabalho como realização pessoal e de contribuição para a sociedade?

A ideologia do lucro a todo o custo e sem olhar a meios está instalada, por muito que hipocritamente se diga o contrário.

A globalização foi defendida como um meio para melhorar o nível de vida de todos, inclusivamente para que a Índia e a China aproximassem os seus padrões de vida dos ocidentais. Está precisamente a acontecer o contrário. A Europa está a deixar-se aproximar dos valores da exploração do trabalho e das pessoas."

DEMOCRACIA? SÓ SE FOR DE SENHORES E ESCRAVOS!...

Já agora, e dentro deste contexto, faz todo o sentido ainda haver a comemoração do Dia da Raça, sendo a fotografia (de LFM, autor também deste texto) que ilustra este post, uma homenagem à frase com que o actual presidente da República brindou todos os portugueses neste 10 de Junho. Cá vamos cantando e rindo...

5 comentários:

paula silva disse...

Isto é do mais surrealista que já se viu... sem ser ARTE, mas puro TERRORISMO...
Não tenho mais palavras... já disseste tudo, amigo.
Isto não é democracia... é desumanidade bárbara!!!!

Bjo

MonteMaior disse...

“Este é um grande passo em frente para os trabalhadores europeus"

Mas esta gente pensa que está a gozar com quem?

Gostava de saber quais foram os ministros que aprovaram esta vergonha. Aposto que o de Portugal não foi um dos cinco que se abstiveram.

maria sousa disse...

Eu nem quero saber quem votou, as minhas 3 vias estão no meu pequeno e insignificante al-haffa.
Será que a Irlanda tem um resposta melhor?
Um abraço amigo.

Pedro Cavaco disse...

Do Homem e do Mundo

Sente-se como inevitável
A derrocada da esperança
Evita-se o drama
A lágrima incomoda
Os ventos de areia
Que em vão tentam esconder
Tristes realidades
O Homem sobretudo inteligente
Anda para trás e por vezes corre
Corre alcoolizado por palavras
Sem visão e sem esperança
Hoje o Homem sobretudo capitula
Incentivado por estradas
De discursos sem saída
No fim haverá sempre um novo inicio
Mas será sempre necessário
Tudo perder para começar a lutar?


Pedro Cavaco
13-06-2008
(Desculpas pelo "tamanho" da revolta)

elvira carvalho disse...

Quando ouvi a notícia fiquei a olhar incrédula para o televisor. Pensava que tinha ouvido mal. Infelizmente era verdade.
Junto à vossa a minha revolta.
Um abraço