"Um Barco atracado ao cais é sempre um sonho preso"

sexta-feira, janeiro 02, 2009

Património de Belas












Nunca falei desta localidade, detentora de tanto património material e algum imaterial, de relevo, como as imagens documentam em breve amostra.
Sítio que guarda um resto de bucolismo, foi território de quintas, ainda visíveis, bons ares e certamente magníficos frutos.
Terra saloia de doces identitários, como os célebres Fofos (de dona Liberdade,) uma criação do património gastronómico popular, com dois séculos.
Lugar de arquitecturas do tempo, modelando a paisagem humana com o selo da qualidade.
Belas - nome poético, com memórias ou lendas, em torno de figuras da realeza, que por aqui passariam a caminho do palácio de Queluz.
Um passeio por lá é uma sugestão para um futuro sábado ou domingo, mas com sol. No azul de uma tarde de luz, o património de Belas apresentar-se-á certamente mais fulgurante, os seus jardins mais apetecíveis.
Seja como for, esta "iniciação" ao paraíso terreal de Belas deveu-se ao convite da minha amiga e colega socióloga Vanda Oliveira, que desde esta janela feliz do Águas do Sul saúdo, prolongando o encanto desta manhã/início de tarde.
Obrigado, querida Vanda!
Luís Filipe Maçarico (texto e fotos)

2 comentários:

elvira carvalho disse...

Depois de uns dias de ausência, (desta vez foi o PC que foi para o hospital) estou de regresso.
Agradeço-lhe e retribuo os votos de bom 2009.
Um abraço e bom fim-de-semana

Alex disse...

Olá Luís Maçarico!
Venho desejar um feliz 2009.
Cumprimentos
Alexandre Rodrigues